Azure Capitals - Soluções em consultoria personalizada

Notícias

Identidade visual – Qual é a cara da sua empresa?

A primeira grande sacada para construir uma boa marca é a conexão emocional entre a empresa/negócio e os clientes. E o que isso quer dizer: estar no consciente deles é a fórmula para que eles tenham os seus produtos na memória assim que virem algo que remeta à sua identidade.

Um exemplo é dizermos “Disney”. Não há como não se lembrar do Mickey, do Castelo da Cinderela ou algo que seja utilizado em sua identidade visual (nos parques, nos canais de desenho animado ou nos filmes). E é isso que você precisa aproveitar como base para dar molde ao que você quer passar com a personalidade da sua marca.

Como criar uma boa identidade visual?

Não existe como fazer o desenho de algo sem querer inserir alguma ideia. E isso é chamado de “briefing”, onde você lista todas as características que acha importante da empresa, levando em conta as descrições dos produtos, as diferenças diante dos concorrentes e o público que você pretende atingir.

Cores, símbolos que caracterizam o negócio e palavras de definição são alguns dos pontos que devem ser relevantes, pois essa é a melhor maneira de chegar ao seu objetivo.

O ditado “uma imagem vale mais do que mil palavras” é o grito de guerra para quem busca uma boa identidade visual, portanto, não poupe esforços. Inclusive, colete ideias de pessoas da empresa (não somente da área de comunicação, mas de todos que vivenciam o dia a dia dela), pois essa é uma excelente alternativa de associar opiniões e levantar conceitos que você nem imaginava que poderiam ser explorados.

Realmente é necessária a ajuda de um profissional em marketing e design?

A resposta é sim. Cada um sabe o que é melhor para a sua empresa, entretanto, somente uma pessoa que entende do assunto conseguirá transformar esse monte de ideias em algo sólido, preciso e condizente.

O tipo de fonte correta, os estilos e as tonalidades das cores são algumas das questões que esse profissional irá levar em conta na hora de desenvolver o projeto. Muitos nem imaginam, mas pequenos detalhes passam mensagens subliminares. Traços e extensões nas letras dão um ar rebuscado, enquanto as sem serifa (“traços”) remetem a um jeito mais moderno.

Já imaginou se você tem um negócio para jovens e utiliza uma tipografia que não “converse” com o seu público? Pronto, é o fim de algo que nem começou!

Para encerrar, é importante ressaltarmos que a sua identidade visual é sinônimo de criatividade e mudanças, então, não hesite em modificar tudo até chegar ao que você considera o certo, assim como adapte diversas ideias em um só conceito. E, claro, como estamos em uma Era Digital, nunca se esqueça de que sua marca precisa ser visualmente flexível para materiais impressos e da web.

Se interessou? Entre em contato conosco!